scripts para funcionamento do site
Skip Navigation Links
Você está na página  Pontos Turísticos do Espírito Santo

Região Metropolitana

A Ilha do Mel

Vitória, capital do Espírito Santo, é o ponto de partida para a maioria das rotas turísticas do Estado. A cidade, uma das três ilhas-capitais do país, tem o desenvolvimento sustentável como uma de suas marcas e desponta entre as que mais crescem em termos econômicos no Brasil. Entretanto, as grandes oportunidades de negócios estão sempre alinhadas com a preservação de sua história, cultura e seus ecossistemas.

Com uma população de 327.801 habitantes, Vitória é um ótimo lugar para se viver. Extremamente aconchegante, a cidade está entre as dez melhores do Brasil para trabalhar. Comparativamente às demais capitais do país, está em segundo lugar no ranking de desenvolvimento municipal, possui o terceiro melhor índice de desenvolvimento humano e o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita.

Sua economia está baseada nas atividades portuárias, no comércio e na prestação de serviços. Com uma posição geográfica estratégica, a capital é um dos principais pontos de escoamento da produção nacional. Para isso, conta com uma excelente infraestrutura logística. Suas vias de acesso compreendem, além de rodovias, dois grandes portos – o de Vitória e o de Tubarão, considerados importantes complexos portuários do país –, ferrovia e um aeroporto que, atualmente, está em fase de ampliação.

Outro segmento econômico de Vitória, que vem registrando crescimento acima da média nacional, é o turismo de negócios. Para suprir essa demanda, a cidade investe no aumento da infraestrutura da rede hoteleira, dos espaços para eventos, dos restaurantes e dos demais serviços ligados ao segmento. No entanto, o turismo de lazer também vem seguindo essa tendência, apresentando índices de crescimento importantes nos últimos anos.

Fundada em 1551, Vitória conserva vários exemplares arquitetônicos da época. São casarios, igrejas, palácios e escadarias. A maior parte desse acervo está no Centro da cidade. A riqueza de sua história, a beleza de seus parques e de suas praias – muito visadas para esportes náuticos – e suas características econômicas atraem turistas de várias partes do mundo, interessados em lazer e em oportunidades de negócios, o que faz da capital capixaba um local de grande vocação turística.

Atrativos turísticos

Catedral Metropolitana: Em estilo neogótico, com vitrais valiosos, foi construída no século XX. Em seu subsolo há uma capela onde estão enterrados os bispos do Espírito Santo.

Santuário de Santo Antônio: Construído na década de 1960, possui três cúpulas. A arquitetura é em estilo barroco, sendo uma réplica de um templo italiano do século XVI consagrado a Maria, na cidade Todi.

Palácio Anchieta: Construção jesuítica do século XVI, abriga desde o século XVIII a sede do governo Estadual. De frente para o mar, com vista para o Porto de Vitória, o prédio guarda o túmulo do Padre José de Anchieta e é uma das sedes de governo mais antigas do Brasil.

Teatro Carlos Gomes: Construído em 1927 e projetado pelo arquiteto italiano André Carloni, que se inspirou no teatro Scala de Milão, Itália. A cúpula de estilo neorenascentista italiano foi feita pelo artista plástico capixaba Homero Massena.

Praia de Camburi: mais conhecida da cidade, com cerca de 5km, é ideal para a prática de esportes, como vela, kitesurf e pesca oceânica.

Curva da Jurema: Ao longo dos 800m de sua faixa de areia, o visitante pode admirar a paisagem, confortavelmente instalado em um dos muitos quiosques com áreas cobertas, que servem deliciosos petiscos da culinária capixaba.

Parque Municipal Pedra da Cebola: Ótimo para caminhadas e contato com a natureza. No local funcionava uma pedreira, transformada em parque graças a uma ação da comunidade. O parque também conta com um espaço cultural, casa de meditação, jardim oriental e mirante sobre um paredão rochoso, utilizado para alpinismo.

Ilha das Caieiras: Cercada por manguezais, a localidade abriga pescadores, catadores de caranguejos, marisqueiros e as desfiadeiras de siri. Em sua orla, além da bela paisagem da baía de Vitória, há restaurantes onde se pode experimentar pratos tradicionais da gastronomia do Espírito Santo, como a moqueca e a torta capixaba.

Panela de Barro: Melhor representação do artesanato capixaba de origem indígena. Uma tradição passada de mãe para filha há pelo menos 400 anos. Torna mais saborosos os pratos típicos à base de frutos do mar, como a moqueca e a torta capixaba. A Associação das paneleiras funciona no bairro de Goiabeiras e comercializa as panelas.

Vila Velha

A história do Espírito Santo começou em Vila Velha, a cidade mais antiga do Estado, que se destaca pelas belezas dos seus 32 km de praia. Fundada em 1535, por Vasco Fernandes Coutinho, quando ainda era uma capitania, hoje o município tem nas atividades portuárias sua principal base econômica. Nas belas praias da cidade, é possível passear pelo calçadão e provar deliciosos pratos nos quiosques. Famosa pela música Madalena, de autoria do cantor e compositor Martinho da Vila, a Barra do Jucu é um lugar cheio de atrações, como a culinária típica e o congo, que revelam as fortes tradições folclóricas do município. Vila Velha fica a 5 km de Vitória e a Terceira Ponte é uma das formas de acesso à cidade.

Atrativos turísticos:

Convento da Penha: Uma das mais belas e antigas construções do Brasil Colonial e o mais antigo santuário mariano do país. Tem em seu acervo a tela de Nossa Senhora das Alegrias, trazida de Portugal no início do século XVI, e murais de Benedito Calixto. Construído sobre um rochedo em 1558 pelo Frei Pedro Palácios, permite avistar de seu ponto mais alto Vila Velha, Vitória e alguns municípios vizinhos. O acesso pelo caminho de pedras rústicas margeia resquícios originais da Mata Atlântica, com diversas espécies de plantas e animais silvestres.

Museu Ferroviário: Antiga Estação Pedro Nolasco, construída em 1927, reúne um rico acervo que retrata parte da história das ferrovias do Brasil, com a velha Maria Fumaça, o vagão de madeira, o trole, o telégrafo e o quepe do agente, além de muitas fotografias.

Praias da Costa, Itapuã e Itaparica: Compõem uma orla contínua e ficam apenas a três quilômetros do Centro. Em alguns pontos, têm águas calmas. Em outros, mais inclinados, ondas fortes e areia fofa.

Fábrica de Chocolates Garoto: Fundada pelo imigrante alemão Henrique Meyerfreund, tem um Centro de Documentação e Memória que relata sua trajetória por meio de objetos como a maleta do caixeiro-viajante e as latas onde eram guardadas as balas. Em uma sala de 120 m², estão expostos todos os produtos fabricados desde o início das operações, 300 cartazes, 70 caixas-arquivo, quatro mil imagens, 150 vídeos e 50 depoimentos.

Farol Santa Luzia: Situado entre o Morro do Moreno e a Praia da Costa, o farol é uma atração à parte. Construído há mais de 100 anos na Escócia, tem 12 metros de altura e emite, ininterruptamente, sinais aos navegantes com um alcance de 16 milhas marítimas. Seu funcionamento é à base de álcool, gás e eletricidade e serve de orientação aos navios que atracam nos portos de Vitória, Vila Velha e Tubarão. A parte interna do farol está fechada à visitação, mas o passeio vale a pena, também para apreciar o seu entorno, com belas praias, como a bucólica Praia do Ribeiro e o Morro do Moreno. Na região também há ótimos restaurantes.

Barra do Jucu: Antiga vila de pescadores, a praia ficou famosa pelo movimento dos surfistas, que enfrentam o mar agitado junto ao Morro da Concha, e pela música Madalena, de Martinho da Vila. Aliás, o morro da Concha proporciona uma bela vista das praias locais, como a da Concha e da Barrinha. Uma ótima pedida é escolher uma das várias opções de pratos à base de frutos do mar nos bares e restaurantes locais.

Guarapari

Com suas 46 praias e uma diversidade de atrações, Guarapari é o balneário mais famoso do Espírito Santo. O mar da cidade é formado por dezenas de ilhas, enseadas e costões rochosos, o que o torna um dos melhores locais para a prática do mergulho esportivo. As areias monazíticas atraem centenas de turistas todos os anos. Além de refrescar o calor, as praias de Guarapari também são ótimas para a prática de esportes, como surf, vela, jet-ski e remo. Na Praia do Morro, o movimento é garantido, com seus vários bares e quiosques. A vida noturna na cidade também é bastante diversificada. Guarapari fica a 51 km de Vitória e as vias de acesso são a Rodovia do Sol e a BR-101 Sul.

Atrativos turísticos

Praia dos Namorados, das Castanheiras e da Areia Preta: as praias dos Namorados e das Castanheiras são divididas por pedras enormes, intercaladas por arrecifes, formando, durante a maré baixa, piscinas naturais repletas de peixinhos, o que as torna muito atraentes para as crianças. Já a da Areia Preta, com ondas fracas e faixas douradas e escuras, é a principal praia de areia monazítica de Guarapari. Além dos idosos, que se enterram nas areias em busca de suas propriedades medicinais, muitos jovens frequentam o local: uma trilha sobre as pedras, no lado direito, leva à prainha das Pelotas.

Enseada Azul: formada pelas praias de Guaibura, Bacutia, Mucumã e Peracanga, interligadas por areias brancas e finas. Tem água extremamente cristalina que permite boa visibilidade e 8m de profundidade. Ali, a 300m de areia, encontra-se um cargueiro alemão que naufragou em 1942.

Praia de Meaípe: Margeia uma antiga aldeia de pescadores. De ondas fracas e areia grossa, é contornada por castanheiras. Despontando hoje entre uma das mais procuradas do Estado, já foi considerada uma das dez praias mais bonitas do Brasil, pela revista Quatro Rodas.

Parque Estadual Paulo Cézar Vinha: Antigo Parque Estadual de Setiba tem esse nome em homenagem ao biólogo assassinado devido à sua luta pela preservação do local. Com uma área de 1.500ha, encontra-se numa planície litorânea. Sua principal formação geológica é a restinga.

Praia do Morro: Com 4 km de extensão, com areia clara, fina e solta, é uma das maiores praias de Guarapari. Em uma das extremidades as ondas são fortes; na outra, as águas são calmas.

Serra

Um lugar cheio de belezas e com uma cultura riquíssima. Assim é o município da Serra, conhecido pela sua religiosidade e folclore, além de um belíssimo litoral e festas tradicionais. As praias são uma atração à parte na cidade e estão sempre movimentadas, com seus vários quiosques e bares. A Serra é o maior município da Grande Vitória e o turismo se destaca entre as suas atividades econômicas. A Igreja dos Reis Magos e a Casa do Mestre de Congo Antônio Rosa estão entre os lugares mais procurados pelos turistas, pois guardam grande parte da história do município. Os sítios e fazendas da região oferecem aos visitantes diferentes opções de lazer como trilhas ecológicas, passeio a cavalo e pesca. A sede do município fica a 27 km ao Norte de Vitória.

Atrativos Turísticos

Igreja e Residência dos Reis Magos: Este é o mais significativo exemplo das construções jesuítas no Espírito Santo. A igreja, a residência e a praça permanecem completas, com raríssimas modificações. A primeira capela foi erguida no dia 6 de janeiro de 1557, por isso recebeu o nome de Reis Magos. A construção era pequena e feita de palha. A conclusão da igreja se deu em 1580, quando a mesma foi inaugurada com uma festa solene. Aberta à visitação de quarta a segunda-feira, das 9 às 17 horas.

Congo: Ritmo tradicional do Espírito Santo, o congo é uma das maiores características do folclore capixaba. Suas toadas fazem referência à escravidão, ao santos de devoção popular, ao amor, à morte e ao mar. As bandas de congo são presença confirmada em festas religiosas, como as de São Benedito (dezembro) e São Pedro (junho).

Casa de Congo Mestre Antônio Rosa: Espaço multicultural que possui como princípio norteador proporcionar à sociedade um lugar permanente de formação da consciência histórico-cultural, contribuindo para a preservação e resgate da maior manifestação folclórica do município. Permanentemente é exposto o Acervo da Casa do Congo, que tem o objetivo de divulgar o Ciclo Folclórico-Religioso de São Benedito, na Serra. Visitas podem ser feitas de segunda a sexta, das 8 às 18 horas.

Manguinhos: De águas calmas, ambiente bucólico e acolhedor, tornou-se a preferida de intelectuais, artistas e amantes da paz e da natureza. Também virou recanto seguro para as tartarugas marinhas que desovam em suas areias. O local também é muito disputado para os amantes da pesca e por quem gosta de caminhadas à beira-mar. Outra atração local é a culinária, pois é onde estão os melhores restaurantes.

Lagoas - O município possui duas: a de Carapebus e Juara. A Lagoa Juara faz parte da bacia hidrográfica do rio Jacaraípe e abriga o projeto Tilápia, com a instalação de tanques-rede. Nos finais de semana, a Associação de Pescadores da região serve tilápia frita que pode ser degustada à beira da lagoa. Aberta das 7 às 18 horas. Mais informações pelo telefone (27) 3252-3747.

Mestre Álvaro – O pico está a 833 metros do nível do mar. A área do monte foi transformada em Reserva Biológica Estadual e Parque Florestal. Os mais animados podem chegar ao topo por trilhas, de onde se tem uma bela vista da ilha de Vitória e dos municípios da Serra e de Cariacica. A caminhada dura entre 1 hora e 1h30 e requer acompanhamento de um guia. Contato com o Sindetur – Sindicato dos Guias Turísticos, pelo (27) 3229-4087/3034-1719.

Cariacica

De origem indígena e com influências das culturas negra e europeia, Cariacica é um exemplo da miscigenação brasileira. Segundo os antigos habitantes, o nome surgiu da expressão “Cari-jaci-caá”, utilizada pelos índios para identificar o porto onde desembarcavam os imigrantes. Sua tradução é “chegada do homem branco”. A cidade reúne o urbano e o rural de forma sustentável. O centro urbano abriga grande área comercial da população, mas a região rural se estende por uma ampla área do território e é marcada pela diversidade natural, principalmente aos pés do Monte Moxuara.

Atrativos turísticos

Mochuara: Pedra de granito com 724m de altura na região rural do município. Foi tombada como patrimônio histórico-paisagístico em 1992. Serviu de abrigo para escravos que fugiram da rebelião de Queimados, na Serra. O destaque é a pista para rappel, com 12,5m. Possui em seus limites uma biodiversidade valiosa e é morada de espécies ameaçadas, como o araçá do mato, pau d’alho, cobi da serra, cobi da pedra, jeriquitim e jeriquitibá. Sua fauna é composta por beija-flores, pica-paus, lagartos e outros bichos. O local conta com excelente infraestrutura e áreas de lazer e restaurantes que servem pratos exóticos, como carne de javali. Mais informações pelo telefone: (27) 3254-1488.

Congo de Máscaras: Realizado em Roda D’água, é uma das manifestações folclóricas mais antigas do município. Nos três dias de festa, acontece a apresentação de bandas de congo.

Reserva Biológica de Duas Bocas: Em uma área de 2.910ha, reflete a biodiversidade da Mata Atlântica e abriga a represa de Duas Bocas, inaugurada por Getúlio Vargas em 1950 e responsável por 25% da água consumida no Município.

Viana

Mesmo fazendo parte da Região Metropolitana, Viana mantém ares do interior. O município recebeu imigrantes portugueses, italianos, alemães, além dos indígenas que já habitavam a região. O agroturismo e o turismo rural têm destaque. E para quem quer atividade intensa, é possível praticar esportes radicais como trekking, voo livre, trilhas, motocross e curtir as belezas naturais que a cidade oferece. Os sítios e fazendas de Viana são uma ótima opção de passeio, curtindo a natureza e os produtos artesanais, preparados nas propriedades. Viana fica a 20 Km de Vitória, seguindo pela BR 262.

Atrativos turísticos

Museu Ferroviário: Antiga Estação Ferroviária, construída em 1895. Possui estacionamento, jardim paisagístico, coreto coberto para apresentações artísticas e a sala de exposição Alvimar Silva, em homenagem ao poeta vianense.

Casa da Cultura: Funciona em um casarão que pertence à família Lyrio, localizado na sede da cidade, ostenta arquitetura açoriana. Uma das construções mais antigas do Estado, já hospedou o imperador Dom Pedro II.

Cachoeira da Fumaça: A principal cachoeira do município está localizada no sítio de mesmo nome, propriedade de Mário Ribeiro Grijó, a 8 km da sede. O local é aberto ao público.

Igrejas: As igrejas Nossa Senhora da Conceição e de Nossa Senhora de Belém são atrações à parte e dizem muito sobre a cultura local.

Rampa do Urubu: Facilidade de acesso, vista panorâmica e possibilidade de fazer todos os tipos de voos são alguns motivos que fazem da Rampa do Urubu o point do voo livre da Grande Vitória. A proximidade da capital atrai cerca de 400 pessoas ao local a cada fim de semana. Lá de cima, a 260 metros de altura, a vista alcança as belezas de Viana, Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Domingos Martins.



Fale com o Governo

Envie dúvidas, comentários e sugestões